Com los Recuerdos al hombro

FIQUE RICO SEM SAIR DE CASA

14 de abr de 2010

O berço de ferro

A história que vou contar agora parece mais uma lenda do que verdade. É dificil eu sei, até eu não creio muito.
Toda vez que me lembro deste episodio, que minha mãe contava quando eu era mais novo, pois acho que agora ela esqueceu, vem-me na cabeça a letra de uma musica dos meus conterrâneos da querida Cidade Heróica, Martin Cesar, Paulo Timm e Regis Bardini, "Temporal Santa Rosa". Um trecho da música era assim "os antigos professavam, fim de agosto Santa Rosa, vem troteando seus trovões, não se cruzam os alambrados porque neles bincam os raios, partindo ao meio os moerões". A musica em si é linda. Conta uma lenda que os antigos acreditavam muito. Era só chegar o mês de agosto que os velhos já profetizavam: agosto, mês do desgosto, vem aí o Santa Rosa.
Com o passar dos anos isso foi caindo no esquecimento; hoje ninguem mais fala em Santa Rosa. E até hoje não entendo por qual razão tem esse nome. Se era tão ruim por que era santa? São coisas dos antigos.
Contava minha mãe que num desses temporais, eu fui vítima. Devia ter meses de vida. O certo é que eu não me lembro de nada. Morávamos no Cerro da Irmandade. Eu dormia num berço de ferro. Os antigos acreditavam muito nisso: em dia de temporal, era obrigatório os espelhos cobridos ou virados, os ferros escondidos, que segundo eles isso atraía o temporal; alem disso ainda se fazia uma cruz com erva e sal e lógico a cruz com machado para afugentar o temporal. Sinceramente nunca entendi muito desses sacramentos.
Resumindo a história, diz ela que um raio caiu bem no berço onde eu dormia. Ela sempre diz que me safei por pouco. Até pode ser. O certo que isso é meio dificil de se acreditar. Como seria possível, ter-me salvo se raio caiu bem exatamente onde eu estava dormindo? Como um colchonete de berço seria forte suficiente para me salvar, se um raio, como se sabe, possui uma voltagem elétrica muito forte? Também não sei. Mas uma coisa é certa, algo aconteceu naquele dia de temporal Santa Rosa, algo que ainda não entendi e que minha não soube explicar.

Um comentário: